O que é e como fazer captação de recursos

O que é e como fazer captação de recursos?

Na teoria, a captação de recursos é o processo desenvolvido por uma organização para pedir as contribuições voluntárias de que ela precisa, ou seja, nada mais é do que buscar aportes financeiros que serão injetados no caixa de uma empresa ou instituição.

Na prática, captar recursos não é uma tarefa fácil, pois significa ter uma equipe dedicada a pensar em ideias criativas para trazer as doações e, para esse trabalho, há uma profissional específico, o “captador de recursos”, ou mobilizador de recursos, ou profissional de desenvolvimento institucional.

De acordo com a Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), o captador de recursos é “quem irá liderar o processo de planejamento de mobilização de recursos e a sua implementação.” Ou seja, ele é responsável por garantir a sustentabilidade das organizações, justamente porque trabalha para trazer as receitas delas, as suas doações.

Nos últimos anos os processos de captação estão em evidência entre as atividades executadas pelo Terceiro Setor. Mas, para aquelas que ainda não é viável ter um profissional para realizar esse trabalho, é possível contratar empresas para escrever projetos ou encontrar captadores que fazem a prospecção de empresas patrocinadoras, cobrando apenas uma % dos contratos celebrados.

Quanto ganha um captador de recursos?

De acordo com o site Vagas, a média salarial para Captador de Recursos no Brasil é de R$ 1.181,00, sendo a formação mais comum a de Relações Internacionais.

Ao passar dos anos, alguns métodos para a captação de recursos foram aperfeiçoados para estimular o retorno positivo dessas instituições. Confira a seguir. Boa leitura!

Quais as principais fontes de captação de recursos de terceiros?

Captar recursos para as ONGs/Instituições do terceiro é parte da estrutura e é o que as mantêm. Há diversas formas de captação de recursos que podem ser utilizadas por sua ONG: venda de produtos, organização de eventos, produção de materiais, contratos de prestação de serviços, entre outras opções.

Independentemente da atuação e trabalho realizado, fazer a captação de recursos para projetos sociais, precisa ser de forma perene, estratégica e transparente. Dessa forma, é possível aproximar os doadores, fazendo com que eles acreditem no trabalho realizado, trazendo mais legitimidade e maiores possibilidades de sustentabilidade financeira.

Para as instituições do terceiro setor, a captação de recursos, é uma ação fundamental para a sobrevivência de toda a estrutura necessária e para a manutenção dos projetos. Entre as principais formas de obtenção de recursos para essas instituições estão:

  • Captação via projetos
  • Editais
  • Eventos
  • Bazar/brechó
  • Venda de Produtos
  • Prestação de serviços
  • Aluguel de espaços da Organização

Quais os tipos de captação de recursos?

Além das formas que integram a atividade habitual da entidade (citadas acima), as instituições do terceiro setor podem captar recursos por meio de doações dedutíveis do imposto de renda de pessoas físicas e jurídicas, patrocínios, subvenções ou auxílios.

Há também os incentivos fiscais para doação feitos por pessoas físicas ou pessoas jurídicas, além de Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente. A seguir, conheça os tipos de arrecadação de recursos existentes:

No caso de doação, elas devem ser:

– pura: consistindo em mero benefício do donatário, sem qualquer contrapartida;

– remuneratória: feita com o propósito de pagar um serviço prestado pelo donatário, que não o exigiu;

– com encargo: impondo-se ao donatário uma contraprestação que ele deve cumprir e da qual resulta uma vantagem para o doador ou para um terceiro.

Patrocínio

O patrocínio é uma modalidade de incentivo prevista na Lei n° 8.313/91, amplamente conhecida como Lei Rouanet.

Subvenções Sociais

A subvenção é concedida às entidades sem fins lucrativos que prestarem serviços essenciais de assistência social, médica e educacional, de forma suplementar aos recursos de origem privada.

Nota Fiscal Paulista

Os consumidores paulistas podem doar seus cupons fiscais, sem CPF, para organizações sem fins lucrativos cadastradas no Comas (Conselho Municipal de Assistência Social). Nesse formato, parte do ICMS cobrado sobre a compra de produtos é revertida em recursos para causas sociais.

Auxílios

Os auxílios consistem em dotações derivadas da Lei do Orçamento que constituem transferência de capital para investimento, independentemente de contraprestação direta de bens ou serviços, conforme dispõe o artigo 12, parágrafo 6º da Lei n° 4.320/64.

 

De forma direta, o conceito de captação de recursos é simples, mas a tarefa em si precisa ser muito bem pensada, pois tem o poder de aproximar a Organização da comunidade e de seus doadores.

 – Agora, que você conheceu os detalhes e entendeu que a captação de recursos é uma das mais importantes atividades para a sobrevivência das instituições do terceiro setor, seja um investidor social!

 

small_c_popup.png

Comece a ajudar!

Sua ajuda é muito importante!

Clique na forma de pagamento que preferir:




Se preferir você pode doar creditando na conta do Instituto BH Futuro:

Transferência direta – Banco Santander

DADOS BANCÁRIOS
Instituto BH Futuro, CNPJ 28.247.706/0001-71
Banco Santander (033), Agência 4275,
Conta corrente 13005159-8